Interpretação de dados: Como engajar a sua empresa a adotar essa prática

Interpretação de dados: Como engajar a sua empresa a adotar essa prática

Toda grande empresa tem equipes e pessoas especializadas em interpretação de dados, isso ocorre porque a utilização correta dessas informações pode ser o grande diferencial no momento de tomar a melhor decisão para um negócio. 

Entretanto, ocorre que, muitas vezes, os empreendedores acabam por deixar essa importante função de lado e não dão a devida atenção para a forma como esses dados devem e precisam ser armazenados, obtidos e, posteriormente, interpretados.

A primeira grande etapa é entender a importância que a interpretação de dados tem para uma empresa de automação, de bolos, eventos, salgados e outros ramos, principalmente, para a saúde financeira dessas empresas.

Já parou para pensar na quantidade de dados que somos submetidos diariamente nos dias de hoje? A captação desses dados também é feita com diferentes métodos e formatos. Desde empresas que utilizam os próprios sistemas, até o Excel ou Planilhas Google

Ademais, a organização desses dados é essencial para que seja possível a melhor interpretação deles, e é justamente disso que falaremos ao longo deste artigo. Se você tem o desejo de engajar a sua empresa e adotar essa prática, fique conosco até o fim. 

Entendendo a interpretação e a análise de dados

Analisar os dados significa utilizar as informações computadas sob as perspectivas projetadas pela sua empresa. Assim, as informações de uma determinada planilha precisam fazer sentido ao final do mês para fornecer um feedback das diversas ações da marca.

A grande maioria dos insights (ideias inovadores) só são possíveis de serem tomadas graças à possibilidade de ter a visão da real situação da empresa, além disso existem muitas ações que podem parecer benéficas, mas os ver os números, são insignificantes.

Esse contexto só pode ser possível com a análise e interpretação dos dados computados pela sua empresa, para que sejam utilizados nos mais diversos tipos de processo que você imaginar. 

Um exemplo visual que podemos dar é o número de vendas que uma empresa de instalação e monitoramento de alarme de casas têm em diferentes países. Inclusive, muitos acham que por um país ser rico não há a necessidade da compra de segurança.

Contudo, se observarmos os gastos com segurança de diversos países, veremos que os com menor taxa de criminalidade são justamente os que mais vendem produtos de segurança, isso porque existe todo um plano de inteligência.

Ou seja, se pegarmos um país seguro e compararmos a um país com alta taxa de criminalidade, veremos que a diferença de investimento em monitoramento de segurança sob a contratação de qualquer empresa de terceirização é menor que os mais seguros.

Isso não quer dizer que não seja benéfico investir nesse segmento em países em desenvolvimento, mas é apenas uma análise fria de dados que se opõem ao pensamento popular. Entendesse que quanto maior a fortuna, maior será o monitoramento deles. 

Esse tipo de análise só pode ser feita quando se há o armazenamento correto dos dados e a análise imparcial sob determinados contextos ou situações diferentes. Por isso é mais do que necessário que as empresas adotem o quanto antes as práticas que ensinaremos.

Análise qualitativa: entenda mais

O primeiro dos dois métodos de análise e interpretação de dados mais utilizados é chamado de análise qualitativa. Ele se baseia em observar os dados, não por valores ou padrões de números, mas, sim, por meio de contextos diferentes.

As informações são obtidas de diferentes formas, sendo que podemos destacar os formulários, ligações feitas diretamente para os clientes, padrão de consumo, registro físico ou virtual. Por meio da análise desses dados, é possível gerar diversos insights.

A maneira mais utilizada de fazer uma análise qualitativa é separar os valores obtidos em tópicos e categorias, sendo possível identificar as frequências, médias e diferentes níveis entre os dados. 

Definido o contexto e organizando os dados já se torna possível a elaboração de um relatório detalhado para exposição visual a qualquer leigo. É deste modo que nas apresentações são expostos dados como se fossem placas de acessibilidade.

Existe um exemplo bem fácil de ser compreendido que é quando os jornais expõem as pesquisas eleitorais. Uma empresa é contratada para fazer a obtenção dos dados sob determinado contexto exposto pela contratante,

Os dados são obtidos e veiculados pelo jornal de modo que atenda a ideia inicial da contratação. Não se esqueça que os gráficos são a melhor forma de expor dados de forma visual para toda e qualquer pessoa. 

Análise quantitativa: entenda mais

Quantitativo vem de quantidade, e é exatamente isso que esse método busca. Aqui devemos organizar os dados de diferentes formas que expõe os valores obtidos pela empresa, ou seja, de uma maneira que tudo pode ser exposto por meio dos números como:

  • Média;
  • Mediana;
  • Picos e decadências;
  • Métricas;
  • Modelagem estatística.

Nesse caso o objetivo é identificar padrões de venda, compra, desperdício, lucro, etc. E é extremamente importante, pois consegue nortear os líderes para a direção correta. 

Por exemplo, algum tipo de produto de uma empresa de montagem de quadro elétrico residencial é vendido sob um contexto bem específico que envolve algumas épocas sazonais, mas é produzido durante o ano todo.

Em uma análise qualitativa, ele pode até gerar dados positivos, mas no contexto de quantitativa acaba caindo no prejuízo. Isso pode fazer com que a empresa decida produzir esse produto somente na época de alta ou simplesmente tirá-lo de circulação. 

Benéficos da interpretação de dados

Agora que já compreendemos a importância da análise e interpretação de dados e vimos os dois principais métodos utilizados por diferentes empresas no mundo todo, precisamos mostrar para você os benefícios que a adoção dessa prática gera na sua empresa.

Reforçamos que isso se faz indiferente do segmento, seja uma loja de brinquedos infantis ou uma termografia eletrica. São características e lições que toda empresa precisa seguir.

1 – Tomada de decisão

Quando envolvemos nosso dinheiro, não podemos ter muitas incertezas. Existe o risco que pode envolver a chamada imprevisibilidade, mas ele pode ser drasticamente reduzido quando feita a interpretação correta dos dados da sua empresa.

Muitas empresas erram no momento em que criam metas, pois acabam muitas vezes elaborando algum tipo de meta impossível de ser atingida ou até fácil demais de ser cumprida. 

Quando isso ocorre, a sensação é que você está abaixo ou acima do que realmente poderia. Há também momentos em que é preciso seguir em frente, sendo que essa decisão só pode ser tomada se você realmente estiver interpretando os dados corretamente. 

Pense que arriscar sem qualquer ideia mensurável de resultados, é como uma empresa que faz a gestão condominial de um apartamento deixar qualquer pessoa adentrar a sua casa. É um risco que você não quer correr.

2 – Identificação de tendências

Existem tendências que podem ou não ser consequência dos insights, que só podem ser identificadas quando estamos lidando diretamente com os dados obtidos e interpretados. Há também a possibilidade da empresa estar tendendo a uma época de escassez.

Seja de vendas ou de matérias-primas, a questão é saber identificar quando isso ocorre e se preparar para uma época positiva ou negativa, dependendo do que você estiver planejando.

Pense também que você está lidando com inúmeros fornecedores e eles também precisam saber o quão bem a sua empresa está indo para continuar a parceria. Todo esse envolvimento é dependente do conhecimento que você tem da sua empresa.  

3 – Redução de desperdícios 

Por fim, mas não menos importante, temos a redução de desperdícios que consequentemente leva a eficiência dos custos e investimentos trazidos ou gerados para a sua empresa.

O exemplo mais claro que podemos dar é quando estamos falando de um sistema para restaurante. Imagine se um restaurante continuasse a vender um prato em que a sua matéria-prima é de difícil acesso e alto custo de armazenamento, mas não obtém o retorno.

As vendas desse prato deveriam compor o esforço logístico para mantê-lo no cardápio, caso contrário só levaria prejuízos para o restaurante. Por isso é comum um restaurante ter um cardápio extenso nos primeiros anos e ir reduzindo conforme for se consolidando.

Considerações finais sobre interpretação de dados

Durante todo o artigo, demos diversos exemplos de o porquê e como você pode engajar a sua empresa a adotar a prática de interpretação de dados. Existem diferentes contextos em que você precisa averiguar suas vendas, não deixando de se ater aos números.

Pense que essa conclusão só é possível, uma vez que existe a interpretação dos dados, se não esse mesmo prato ou produto e até serviço que a sua empresa for vender pode dar a falsa impressão de que está fazendo sucesso.

Existem também outros contextos, como mão de obra, gerando prejuízo. Falta de comunicação da empresa ou falta de investimento em infraestrutura que pode estar gerando o aumento de desperdícios e consequentemente a ineficiência dos custos. 

Agora você já está pronto para começar a mudar a forma como enxerga as suas vendas, basta executar o seu planejamento.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *